MINA DE S. DOMINGOS: UM POUCO DE HISTÓRIA

minablack

Terra de contrastes, a singularidade da localidade da Mina de S. Domingos não deixa indiferente o olhar de quem por aqui passa. A área mineira de São Domingos inserida na Faixa Piritosa Ibérica foi desde a Antiguidade um local procurado para a extração de minérios existindo indícios de trabalhos de extração de ouro, prata e cobre no período pré-romano e romano.

É o período de exploração moderna que dita a importância e o legado histórico da Mina de S. Domingos. Numa atividade de extração intensiva que decorreu ao longo de mais de um século (1854-1966), a empresa britânica Mason & Barry extraiu dos jazigos da Mina de S. Domingos mais de 20 milhões de toneladas de minério (cobre, zinco, chumbo e enxofre). A Mina de S. Domingos foi mesmo a maior exploração mineira portuguesa até à década de 1930, com uma força laboral continuamente superior a um milhar de trabalhadores até perto do seu encerramento.

A Mina trouxe para a povoação um nível de desenvolvimento muito acima do vivenciado no resto do país. Aqui construiu-se, por exemplo, uma das primeiras linhas férreas, para fazer a ligação entre a Mina e o antigo porto fluvial no Pomarão, que permitia o escoamento do minério através do rio Guadiana. Construi-se, também, a primeira central elétrica do Alentejo. E sustentada pela atividade mineira, existia uma sociedade local dinâmica, moderna e com acesso a vários serviços, como um cineteatro ou um hospital (SOCIUS – ISEG,2010).

O fim da exploração, aliado à ausência de uma reabilitação adequada após o encerramento da exploração, bem como o abandono e vandalização subsequente do património remanescente ditaram a decadência progressiva do território, consumada no êxodo populacional, na ruína e no enorme passivo ambiental de toda a antiga área mineira. Hoje, a estratégia de desenvolvimento está orientada para a busca de resoluções para os problemas ambientais e para a salvaguarda e valorização/valoração do património mineiro. A 3 de junho de 2013 o conjunto mineiro da Mina de S. Domingos foi classificado pela lei portuguesa “Conjunto de Interesse Público” e, hoje, a área urbana e o antigo complexo industrial fazem parte de um circuito de visita que evoca a história e a memória viva das muitas gentes que aqui viveram e trabalharam.

A NÃO PERDER:

No circuito urbano: Cineteatro, Jardim e Bairro dos Ingleses, Bairros Operários; Latrina; Cemitério dos Ingleses; Casa do Mineiro; Igreja de S. Domingos; Praia Fluvial. No circuito industrial: Corta da Mina; Cais do Minério; Malacate; Oficinas; Estação da Moitinha; Achada do Gamo.

SUGESTÕES E ITINERÁRIOS DE VISITA
A Fundação Serrão Martins/Casa do Mineiro organiza visitas guiadas ao circuito urbano e antigo complexo mineiro da Mina de S. Domingos.

As visitas guiadas estão organizadas em 2 itinerários temáticos.

ITINERÁRIO 1: MINA DE S. DOMINGOS | A HISTÓRIA DA ALDEIA MINEIRA 
mina1

Circuito pedestre a realizar na área urbana da aldeia da Mina de S. Domingos e área industrial contígua. O percurso inclui passagem por edifícios/ruínas que retratam aspetos importantes da dinâmica social da época auge da exploração mineira. Á época o espaço urbano da Mina de S. Domingos traduzia, uma acentuada separação social das comunidades existentes. De um lado, os mineiros e as suas famílias, alojados em bairros operários construídos em banda, habitando “quartos” exíguos sem quaisquer condições de conforto; do outro os “ingleses” e as suas espaçosas cottages já com eletricidade, sanitários e água canalizada, o seu jardim, campo de ténis e um cemitério com terra importada de Inglaterra.

A completar este circuito uma passagem pelos pontos mais importantes do antigo complexo industrial: a corta de exploração mineira a céu aberto, o cais de receção do minério, a zona das antigas oficinas ferroviárias ou a central elétrica.

A visita inclui: Exposição patente no edifício do Cineteatro, zona industrial da Mina de S. Domingos e Casa do Mineiro (duração 1h30/2 horas).Itinerário a pé.

Mapa da Mina de S. Domingos aqui

ITINERÁRIO 2: ROTA DO MINÉRIO | ENTRE A MINA DE S. DOMINGOS E O POMARÃO 
mina2

Itinerário de visita que percorre o ciclo do minério, desde o ponto da sua extração na zona da Corta da Mina até ao antigo porto fluvial da aldeia ribeirinha do Pomarão onde o minério era expedido em navios Carregueiros para Inglaterra.

O circuito da visita inclui a zona de extração e carregamento do minério (túneis encerrados e cais de descarga), oficinas e armazéns, central elétrica, malacate, lagoas de água doce, sistemas de drenagem, vestígios da mineração romana, estação da moitinha, achada do gamo e porto fluvial do Pomarão.

NOTA: Percurso de 17 kms a realizar com a utilização do automóvel do(s) participante(s) que deve contemplar a inclusão do guia. Duração 3h/3h30.

INFORMAÇÕES GERAIS
Preço da Visita Guiada: 3,00€/Pessoa
Condições especiais: Gratuito para menores de 6 anos. Estudantes e maiores de 65 desconto de 50%.
Nº de Participantes: O número máximo de participantes para a realização de visitas em grupo é de 25 pessoas; o número mínimo de participantes para a realização de visitas em grupo é de 6 pessoas.

Os percursos urbano e industrial estão sinalizados e dispõem de elementos interpretativos nos pontos de interesse assinalados, pelo que pode ser visitado sem acompanhamento de guia.

Nos casos de visita sem guia recomenda-se, essencialmente, no circuito industrial que o visitante se mantenha nos trilhos sinalizados e siga as normas de segurança indicadas, uma vez que o espaço em causa contém elementos de risco (desníveis, ocos, elementos químicos potencialmente tóxicos ou corrosivos, estruturas sem estabilidade, etc.).

Para reservas e mais informações por favor contactar a Fundação Serrão Martins.

Contactos: 286 647 534 / 961 940 458 / [email protected]